Especialista referência em Vasectomia

Dr. Tiago Mierzwa, urologista e andrologista em Curitiba

O planejamento familiar é um conjunto de ações que auxiliam homens e mulheres a planejar a chegada dos filhos e a prevenir a gravidez não planejada. Portanto, aqui vamos discutir sobre o método mais seguro para contracepção masculina, um assunto que gera muitas dúvidas atualmente.
Primeiramente, a vasectomia é o processo de esterilização masculina, um procedimento cirúrgico de pequeno porte feito com anestesia local, com ou sem sedação. O método é considerado definitivo e, dentre as opções de contracepção, possui a maior taxa de sucesso na prevenção de gravidez (99%). Embora seja considerada definitiva, ela pode ser revertida através da reconstrução dos ductos deferentes por microcirurgia, porém as chances da reversão dar certo não é de 100%. Por isso, o paciente deve ter certeza de que não deseja mais ter filhos antes de realizar esse procedimento.

Além disso, a cirurgia é simples, dura entre 20 e 30 minutos, e deve ser feita por um urologista em um hospital ou clínica. Logo após o procedimento, o paciente recebe alta com as devidas orientações, e deve permanecer o restante do dia de repouso em casa. E esse procedimento está disponível em Curitiba.

Como é a cirurgia?

Para a realização da cirurgia, identifica-se os ductos deferentes, que são os canais que transportam os espermatozoides, logo abaixo da pele. Em seguida, através de uma pequena incisão, cerca de 5 milímetros, de cada lado da bolsa escrotal, os ductos deferentes são cortados e bloqueados por fios de sutura. Dessa forma, os espermatozoides não passarão mais durante a ejaculação.

Como é o pós operatório?

Após a cirurgia, o paciente pode ter um pequeno desconforto local, inchaço, e a pele pode ficar roxa. Pode retornar ao trabalho, caso não exija esforço, já no dia seguinte. Recomenda-se maiores cuidados por 2-3 dias e evitar atividades físicas por 7-10 dias. Além disso, nas primeiras ejaculações após a vasectomia, ainda pode-se encontrar espermatozoides e, consequentemente, ter chance de gravidez. Após 60-90 dias da vasectomia, o paciente já não deve ter mais espermatozoides na ejaculação. Dessa maneira, é realizado um espermograma para confirmar a ausência de espermatozoides, e o paciente é autorizado a suspender outros métodos de contracepção.

Quem pode realizar o procedimento?

Os critérios para realização da vasectomia são: pacientes com capacidade civil plena; maiores de 25 anos E/OU com pelo menos 2 filhos. Também enquadram-se casos de risco à vida ou à saúde da mulher ou do futuro concepto, testemunhado em relatório e assinado por dois médicos (ref: incisos I e II do artigo 10 da Lei 9263 – Planejamento familiar).

Mitos sobre vasectomia

Há apenas espermatozoides no sêmen?
MITO. O líquido ejaculado é composto pelos seguintes componentes: espermatozoides, fluido seminal, fluido da próstata e muco da uretra.

Após a vasectomia, o paciente não ejacula mais?
MITO. O paciente não notará alteração na consistência ou volume da ejaculação, apenas não terá mais espermatozoides no ejaculado.

Ocorre alteração no orgasmo?
MITO. A vasectomia não afeta a sensibilidade e a intensidade do orgasmo.

A vasectomia afeta a ereção?
MITO. A vasectomia não diminui a libido e nem dificulta a ereção do pênis.

Vasectomia, detalhes do procedimento:

A vasectomia é uma forma de controle de natalidade permanente para homens. É um procedimento cirúrgico simples que visa interromper o fluxo de esperma durante a ejaculação. Aqui estão os detalhes sobre o procedimento:

  1. Preparação: antes da vasectomia, o paciente deve conversar com seu médico sobre a decisão de realizar o procedimento, e avaliar se outras formas de controle de natalidade são adequadas. O médico também pode discutir possíveis riscos e efeitos colaterais. O paciente deve evitar tomar aspirina e outros medicamentos anticoagulantes por alguns dias antes da cirurgia.

  2. Anestesia: a vasectomia é geralmente realizada com anestesia local, mas, em alguns casos, pode ser necessário usar anestesia geral.

  3. O procedimento: durante a vasectomia, o médico irá fazer uma pequena incisão na pele do escroto e acessar os canais deferentes, que transportam o esperma da próstata até o pênis. Em seguida, o médico irá seccionar ou bloquear os canais deferentes para interromper o fluxo de esperma. Em alguns casos, o médico pode remover uma pequena seção dos canais deferentes. O procedimento geralmente leva de 15 a 30 minutos.

  4. Pós-operatório: depois da vasectomia, o paciente deve descansar e evitar atividades intensas por alguns dias. A área cirúrgica pode ser dolorida e inchada, mas o uso de gelo e medicamentos prescritos pelo médico pode ajudar a aliviar a dor. É comum sentir dor ou desconforto por alguns dias após a cirurgia.

  5. Controle de natalidade após a vasectomia: o paciente deve usar outra forma de controle de natalidade até que o resultado dos espermograma confirmem a ausência de espermatozoides no esperma. Isso geralmente leva de 3 a 12 semanas após a vasectomia.

  6. Efeitos colaterais: após a vasectomia, alguns pacientes podem experimentar efeitos colaterais, como dor ou desconforto no escroto, infecção, sangramento ou hematomas. Em raros casos, a vasectomia pode levar a complicações mais graves, como danos aos testículos ou à próstata.

  7. Reversibilidade: a vasectomia é considerada permanente, mas em alguns casos, pode ser possível reverter o procedimento por meio de uma cirurgia de reconstrução de vasos deferentes. No entanto, a reversibilidade não é garantida e a fertilidade após a reversão pode não ser totalmente restaurada. É importante considerar a vasectomia como um método de controle de natalidade permanente e discutir cuidadosamente as opções com um médico antes de tomar uma decisão.

Em resumo, a vasectomia é um procedimento cirúrgico simples que interrompe o fluxo de esperma, oferecendo uma forma permanente de controle de natalidade para homens. É importante considerar cuidadosamente a decisão de realizar a vasectomia, incluindo possíveis riscos e efeitos colaterais, antes de tomar uma decisão. É importante lembrar que, após a vasectomia, é necessário usar outro método de controle de natalidade até que a ausência de espermatozoides seja confirmada.

Benefícios da Vasectomia

A vasectomia oferece vários benefícios, incluindo:

  1. Controle de natalidade permanente: a vasectomia é uma forma permanente de controle de natalidade para homens, o que significa que não é necessário se preocupar com a gravidez indesejada após o procedimento.

  2. Sem interferência na vida sexual: a vasectomia não afeta a capacidade sexual ou a libido do homem, e a ejaculação e a sensação são as mesmas de antes da cirurgia.

  3. Seguro e eficaz: a vasectomia é um procedimento seguro e eficaz, com taxas de sucesso superiores a 99%.

  4. Não há necessidade de interrupção da rotina: a vasectomia é um procedimento ambulatorial, o que significa que o paciente pode ir para casa logo após o procedimento. É necessário um período de descanso após a cirurgia, mas, em geral, o paciente pode retornar às atividades regulares em poucos dias.

  5. Mais acessível do que outros métodos de controle de natalidade: em comparação com outros métodos de controle de natalidade, como o uso de preservativos ou pílulas anticoncepcionais, a vasectomia é relativamente acessível e econômica.

Em resumo, a vasectomia é uma forma segura e eficaz de controle de natalidade permanente para homens, que não afeta a vida sexual ou a libido, é relativamente acessível em comparação com outros métodos de controle de natalidade e você encontra em Curitiba um especialista no assunto.

Dr. Tiago

Mierzwa

– Mestre em Clínica Cirúrgica pela Universidade Federal do Paraná

– Coordenador dos Serviços de Andrologia do Hospital Nossa Senhora das Graças e Hospital Universitário Cajuru

– Membro Professor do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia

– Membro da Sociedade Brasileira de Urologia/ American Urological Association/ International Society for Sexual Medicine/ Sociedade LatinoAmericana de Medicina Sexual

– ABEMSS/ Confederación Americana de Urologia/ Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida