Reversão de vasectomia: existe um tempo ideal para fazer?

Reversão de vasectomia

A vasectomia envolve a interrupção ou oclusão de cada canal deferente e é normalmente realizado em um ambiente ambulatorial sob anestesia local. Revisando um pouco a anatomia, esse canal deferente liga o testículo (local produtor dos espermatozoides) ao pênis, mantendo, assim, a fertilidade. Nos pacientes submetidos à intervenção, esse trajeto fica impossibilitado.

O que gera muitas dúvidas dos pacientes é se esse procedimento é reversível ou não. A resposta é que é sim! Comparando à própria vasectomia, a sua reversão é muito mais trabalhosa e requer todos os cuidados do médico que irá realizar essa intervenção, a fim de manter as funções sexuais preservadas e alcançar o real objetivo desse processo que é chance de poder ter filhos novamente.

Existe tempo ideal para a reversão?

Embora o procedimento deva ser realizado apenas para pacientes que desejam esterilidade permanente, as decisões relativas à fertilidade podem mudar ao longo dos anos reprodutivos. A vasectomia pode ser revertida com técnicas microcirúrgicas que envolvem a reanastomose (vasovasostomia) dos canais deferentes, idealmente no local da ligadura anterior. A reversão bem-sucedida foi relatada em 50 a 70% dos homens de estudos pretéritos. Importante lembrar que as taxas de sucesso diminuem com o aumento do tempo entre a vasectomia e a reversão.

Quem opta pela reversão?

Vários estudos examinaram a relação entre as características do paciente e a probabilidade de uma futura solicitação de reversão da vasectomia. O fator preditivo mais forte para uma reversão do procedimento é uma mudança no estado civil. Homens sem filhos e homens com mais de 30 anos na época da cirurgia eram menos propensos a solicitar uma reversão no futuro.

Sucesso da operação

Os principais determinantes do sucesso e da permeabilidade da reversão são o método de vasectomia e a duração da obstrução. Um esforço foi feito para prevenir danos irreversíveis no momento da operação. Isso levou ao desenvolvimento da vasectomia aberta. O espermatozoide vazado causa uma resposta imunológica que pode resultar em um granuloma de esperma, mas reduz o risco de dano tubular concomitante.

Selar o lado testicular da extremidade cortada do canal pode resultar em dano epididimal e diminuição do sucesso da reversão da vasectomia. O aparecimento de espermatozoides após reanastomose para reversão, costuma ter 90% de êxito e resulta em gravidez em mais de 50% dos casos.

Critérios do paciente para reversão

Embora a reversão da vasectomia seja tecnicamente viável na maioria homens, suas indicações e sucesso final dependem de ambos fatores de fertilidade masculina e feminina. A idade e fertilidade do parceiro feminino deve ser considerado com cuidado nas discussões sobre o prognóstico para alcançar uma gravidez bem-sucedida após a reversão da vasectomia.

O exame físico pode revelar que grandes segmentos do vasos deferentes foram removidos e ajudam a identificar aqueles em quem a incisão padrão pode precisar ser modificada. Exame também pode revelar anormalidades testiculares ou endurecimento epididimal. Um modelo preditivo baseado em idade e tempo uma vez que a vasectomia pode ser útil para identificar mais os homens provavelmente necessitará de vasoepididimostomia.

Categorias
Artigos mais recentes

AGENDE UMA CONSULTA

Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá,
Podemos ajudar?