Terapia de Testosterona

A testosterona é o hormônio sexual masculino produzido majoritariamente pelos testículos, no caso dos homens. Este hormônio é muito importante na saúde e no desenvolvimento do homem por toda a sua vida, desde a fase fetal até a terceira idade.

É a ação da testosterona no organismo que produz as características masculinas, incluindo a maior presença de pelos pelo corpo, voz mais grossa, maior massa muscular, maior estatura, desenvolvimento do pênis e dos testículos, etc. E mesmo estando relacionada à parte sexual, ela exerce mais de 200 funções anabólicas e de reparo, sendo que apenas uma dessas funções diz respeito ao apetite ou desempenho sexual.

Atualmente muitos homens buscam no uso de testosterona um incremento na longevidade e qualidade de vida. Embora possa ser observados melhorias como aumento da libido, aumento da massa muscular e ganho em definição, aumento dos níveis de energia e de concentração, etc, esses pacientes não recebem todas as orientações e podem desenvolver serias complicações.

A indicação adequado do uso de testosterona consiste na presença de ao menos 2 dosagem de testosterona pela manhã (antes das 11:00 horas) <300 ng/dL associada a presença dos sintomas de hipogonadismo (sintomas da falta do hormônio) que são os seguintes:
– Diminuição da força e da massa muscular;
– Fadiga reconhecida pela redução da resistência física;
– Aumento da gordura visceral, conhecida como gordura abdominal, localizada na região da barriga e abdômen;
– Alteração de humor com irritabilidade, depressão e alterações cerebrais com o comprometimento da memória e funções cognitivas;
– Interferência na vida sexual com a diminuição da libido, da quantidade de ereções noturnas e matinais e disfunção erétil.

O tratamento se baseia em melhora dos hábitos de vida e uso de medicação.
Dentre as medidas gerais estão a prática regular de atividade físicas, alimentação saudável, redução do estresse e tratamento correto de doenças crônica.

Os medicamentos utilizados para tratamento dessa condição promovem o aumento dos níveis de hormônio masculino (testosterona), seja através do estimulo a produção da própria testosterona ou através da reposição direta do hormônio.

O uso da testosterona não pode ser feito por todos e as principais contra indicações são desejo de paternidade, elevação do hematócrito (exame de sangue), pois aumenta o risco de eventos trombóticos, insuficiência cardíaca grave, história câncer de próstata avançado ou não tratado e por fim o câncer de mama masculino.

Nos pacientes com indicação de reposição de testosterona, as formas de fornecer testosterona exógenas são: tópica/gel, injetável de curta duração e injetável trimestral.
A testosterona tópica, deve ser aplicada todos os dias no ombro, abdome ou braço, quando suspensa no outro dia já não terá mais efeito. Portanto nos pacientes que possam tem efeito colateral, é uma ótima alternativa, pois na presença de algum problema, a suspensão é fácil.

Quando falamos de testosterona injetável de curta duração, seriam injeções aplicadas a cada 2-3 semanas, que fazem picos e quedas, elas são mais baratas, mas tem um pouco mais de dificuldade para ajuste da dose ideal.

A testosterona injetável trimestral mantém um nível estável do hormônio, sendo mais fácil de ajustar a dose, porém devido ao efeito por 3 meses, na presença de efeito colaterais, tem uma demora maior para acabar o efeito da medicação.

Quando mal indicada ou em casos de abuso pode haver consequências catastróficas como aumento da mortalidade, desenvolvimento de alterações cardíacas, atrofia testicular irreversível, dependência química e psicológica e desenvolvimento de transtornos psiquiátricos.

Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá,
Podemos ajudar?